english language
portuguese language

Os títulos do Tesouro Direto sempre aparecem nas rodas de conversa sobre investimentos. Muitas pessoas ainda não sabem do que se trata e quais as vantagens com relação ao investimento em poupança ou CDBs, por exemplo.

Nesse artigo, vamos entender as principais características desse tipo de investimento e como ele pode ser uma boa escolha em tempos de inflação em alta e queda nas taxas de juros.

Vamos lá!

Então, o que é Tesouro Direto?

Tesouro Direto é o nome do sistema por meio do qual você pode adquirir títulos do Tesouro Nacional.  Ao adquirir esses títulos, você está “emprestando” dinheiro ao Governo Federal que, em troca, devolverá o valor acrescido de juros após determinado período de tempo.

Muitos se perguntam sobre os riscos desse investimento, como no caso de um “calote” do Governo. Saiba que as possibilidades disso acontecer são mínimas, com muitos economistas considerando o Tesouro Nacional mais seguro que o investimento em títulos de bancos privados.

Outro benefício do Tesouro é a possibilidade de aplicação com poucos recursos. Há títulos que custam em torno de 100 reais, portanto, acessíveis ao pequeno investidor.

Tipos de Títulos do Tesouro

A classificação mais ampla dos títulos do Tesouro Nacional é aquela que os divide entre prefixados e pós-fixados. Vamos explicá-los.

Como o próprio nome indica, nos títulos prefixados você já sabe de antemão qual será a rentabilidade do investimento. Nesses títulos são estabelecidos prazos de vencimento, sendo bons para o médio ou o longo prazo.

Já nos títulos pós-fixados a rentabilidade varia de acordo com a taxa de juros do período, de modo que o investidor não consegue saber previamente qual será o resultado do seu investimento. São bons para reservas de emergência e como uma opção à poupança.

Perceba que não é necessário escolher apenas um tipo de título, pois existe a possibilidade de dividir os recursos entre os dois, de acordo com seus objetivos.

Como consigo adquirir um título?

A habilitação para adquirir os títulos do Tesouro Direito pode ser feita pelo seu banco, mas é muito comum a utilização de corretoras de valores para isso. Muitas delas sequer cobram taxas em razão desse investimento, e você ainda tem acesso a outros tipos de papéis e fundos.

Algumas contas digitais também possuem integração com corretoras. Vale a pena conferir, caso você possua uma.

Após realizar seu cadastro, basta acessar o sistema de seu banco ou corretora, escolher o título de acordo com o tipo (prefixado ou pós-fixado), data de vencimento, e finalmente adquiri-lo.

Quais taxas são cobradas?

Como dissemos, a maioria das corretoras não cobra taxas pelo investimento nos Títulos do Tesouro Direto. A B3 cobra uma taxa de custódia de 0,25% ao ano pela guarda dos títulos. Fora isso, existe a incidência do Imposto de Renda e, eventualmente, do IOF.

Economizar com as taxas cobradas por corretoras e bancos é sempre desejável, pois podem impactar de forma perceptível a rentabilidade final do investimento.

Resgate dos títulos

Os Títulos do Tesouro Nacional possuem liquidez diária, portanto, você poderá resgatar os valores investidos a qualquer momento. Isso ocorre porque o próprio Governo garante a recompra dos títulos.

Apesar da possibilidade de resgatar os títulos a qualquer momento, é importante destacar que isso poderá acarretar em perda de dinheiro. Isso mesmo!

Os títulos prefixados, ou seja, aqueles nos quais a rentabilidade já é conhecida na data do início do investimento, são precificados de acordo com as taxas presentes e futuras da Taxa Básica de Juros no momento da aplicação.

Ocorre que isso pode mudar ao longo do tempo de investimento, fazendo com que o título adquirido valha mais ou menos a depender da variação dessa taxa.

Desse modo, se você tivesse investido num título precificado em, por exemplo, R$ 100,00, e no momento do resgate o título estivesse cotado a R$ 98,00, haveria uma perda no valor de R$ 2,00 por título adquirido.

De igual maneira, o resgate antecipado também pode proporcionar algum ganho para o investidor. A título de exemplo, se ao adquirir o título ele custava R$ 100,00, mas por mudanças nas taxas de juros ela venha a ser precificado em R$ 103,00 no momento do resgate, o investidor ganharia R$ 03,00 por título investido.

Por isso é preciso atenção quanto à escolha dos diferentes tipos de Títulos do Tesouro, sempre combinando os vencimentos dos títulos com os seus objetivos para aquele dinheiro investido.

Apesar de existir possibilidade de ganhos, como vimos acima, invista sempre pensando em carregar os títulos até o vencimento, pois aí você terá a certeza de receber a rentabilidade prometida.

Busque conhecimento

Investir bem é um processo sem fim. Fique atento às alternativas disponíveis, sempre as combinando com seu perfil de risco. O Tesouro Direto é uma ótima opção de investimento e com certeza deve ser ao menos considerada por você.

Desejo muito sucesso na sua jornada investidora. Forte abraço!


Fique por dentro e saiba mais sobre empreendedorismo e outras matérias.