Uma parte inevitável ao se administrar um negócio, ou mesmo sendo um gestor de equipe, está em encarar conflitos no trabalho ocasionados por discordâncias ou posicionamentos sobre um projeto em andamento.

Na verdade, o estresse no local de trabalho pode ter consequências negativas duradouras para funcionários e gestores.

Contudo, cabe mencionar que não necessariamente o conflito é somente algo ruim, desde que as discordâncias ocorram com respeito e haja um controle/mediação eficiente sobre as conversas

Em muitos casos, por trás dos conflitos no trabalho há turnos extenuantes, demandas irreais, demissões eminentes, entre outros fatores tanto internos quanto externos. E tudo isso pode resultar em discussões mais sensíveis e problemas de saúde entre os envolvidos, bem como impactos diretos nos fluxos e desenvolvimento da empresa.

Há uma razão pela qual o conflito no local de trabalho tende a ser visto de forma negativa.

Algumas diferenças entre os membros da equipe podem parecer intransponíveis, e a tensão, o estresse e as emoções costumam acompanhar até mesmo pequenas divergências.

A princípio, os conflitos no trabalho podem parecer muito difíceis de gerenciar, mas isso ocorre por parte de gestores que não contam com um planejamento sólido para lidar com eles ou ainda não identificaram os demais aspectos que podem estar envolvidos no mau-estar.

Uma indústria que trabalha com produção técnica, por exemplo de como descascar fios de cobre para as mais diversas finalidades, seja em empresas ou escritórios, é preciso determinar um ambiente salutar em todos os sentidos.

Sendo assim, vale dizer que existem medidas que podem ser tomadas para garantir que os conflitos no local de trabalho sejam tratados de maneira adequada, e assim evitar que atrapalhem o crescimento de uma organização.

Como identificar conflitos no trabalho

Para resolver qualquer tipo de problema no local de trabalho, é importante, antes de tudo, saber como identificar o que está acontecendo.

A seguir serão apresentados 5 sinais de alerta sobre conflitos no trabalho e que devem ser observados, podendo indicar qualquer tipo de confronto, seja entre funcionários, ou até mesmo contra gestores.

Importante destacar que nem todos os aspectos são infalíveis e, por isso, vale usar o próprio julgamento para avaliar as situações em que o cenário se encontra, bem como o conhecimento da equipe e das aptidões desenvolvidas junto aos colaboradores no desenvolver da gestão.

Mais ainda, é preciso identificar aqueles conflitos que são prejudiciais daqueles que podem auxiliar na busca de soluções mais completas e efetivas para os projetos, respeitando o espaço de voz e opinião de todos para organizar os insights.

Confira as situações mais comuns e os padrões que demandam atenção a seguir.

1.   Padrões de desacordo

Existem funcionários que sempre parecem discordar uns dos outros, não importa o assunto ou a pauta em discussão.

De uma maneira geral, em um nível aceitável, os desacordos são comuns e até mesmo desafiar os outros é um atributo positivo em um ambiente de trabalho saudável que possui logística internacional e conta com diferentes operadores e turnos de trabalho.

No entanto, se os desafios se mostram pessoais, ou com características que apontam para uma vingança, isso é um sinal de alerta de que há confronto direto entre os pares e que vale a pena ser abordado.

2.   Baixa retenção de funcionários

A alta rotatividade de funcionários é um sinal de alerta de que algo está errado. E nem sempre é culpa dos profissionais contratados.

Um gestor que não pratica a liderança em um escritório de gestão de condomínios, mas sim se mostra como um chefe tirano, exigindo mais do que o combinado, pode ser um problema que deve ser observado e reavaliado o quanto antes.

Quando um ambiente de trabalho está repleto de conflitos, as brigas internas acabam impactando de forma negativa tanto na moral quanto na satisfação dos funcionários.

A manutenção de funcionários treinados e capacitados deve ser levada em consideração, inclusive em skills adaptativas e discursivas, por uma empresa, principalmente se almeja se destacar no mercado consumidor perante a clientela, melhorando a gestão de crises e conflitos em diversos ambientes.

3.   Reuniões repletas de reclamações

O objetivo da maioria das reuniões é que se mostrem sessões produtivas e envolventes, onde os participantes demonstram projetos e debatem abertamente sobre diversos assuntos e decisões que devem ser tomadas.

Caso seja percebido que esses encontros, ou mesmo conversas pontuais entre grupos, se transformam em sessões de descarrego, com muitas reclamações e apontamentos negativos, é provável que o conflito esteja instalado e é necessário adotar novas medidas e posturas.

A necessidade de procurar valor de transferência de veículo não deve se tornar um assunto particular, mas que situe todos os envolvidos e possa ser a resolução de problemas de comunicação e espaço.

Isso pode levar a um impacto negativo na produtividade, na tomada de decisões e no direcionamento de um projeto, ou até mesmo do próprio empreendimento.

4.   Desempenho no trabalho em declínio

A queda da produtividade é um dos sinais mais claros e que podem ser observados quando há algum problema no ambiente de trabalho.

Para um gestor de decapagem quimica de energia elétrica, por exemplo, basta observar se os membros da equipe estão trabalhando de forma colaborativa ou não.

Se a produtividade ou a qualidade do serviço decaíram, é necessário restabelecer a conversa entre a equipe, e verificar o que há de errado, e como pode ser corrigido.

Embora exista uma variedade de fatores que possam influenciar o desempenho do trabalho em equipe, os conflitos não resolvidos são uma fonte de piora na qualidade e na produtividade, seja qual for a finalidade da empresa.

5.   Grupos fechados no ambiente de trabalho

Quando um gestor nota um grupo de funcionários excluindo outros membros da equipe, há de se observar se há algum problema com quem está de fora.

Um novo profissional pode se sentir deslocado nos primeiros dias em uma empresa que instala chuveiro de emergência. No entanto, se isso se repete por um período prolongado, é necessário verificar qual o motivo de se manter afastado, ou por quê a equipe o não aceita no grupo.

Muitas vezes, a falta de comunicação e a capacitação de liderança podem resultar em setores que não se conversam, prejudicando o macro.

Outras vezes, o conflito é amoral, o que pode causar uma falha de caráter dentre os membros da equipe, e isso precisa ser explanado o quanto antes, para que todos possam trabalhar de forma coesa.

5 Estratégias para resolver conflitos no trabalho

Assim que se identifica conflitos em um ambiente de trabalho, é preciso seguir um planejamento para resolver os problemas antes que eles escalem para um patamar que se torne impossível de controlar.

Dessa forma, há 5 estratégias que podem ser colocadas em prática e evitar ao máximo situações agravantes e que possam prejudicar o todo.

1.   Identifique a fonte de conflito central

O gestor deve ser imparcial, antes de tudo, e deve começar solicitando às partes envolvidas em conflitos no trabalho sobre o caso, ponto a ponto. Isso permite que se forme um quadro geral por meio de percepções individuais.

O elemento mais importante, nesse momento, é garantir que todas as partes sejam ouvidas e compreendidas, cada uma com suas expectativas e anseios.

Quem lidera uma equipe deve deixar que todos sejam abertos e honestos, para então extinguir a fonte de conflito e encontrar uma solução plausível.

2.   Veja qual a raiz do problema

Após ouvir todas as histórias e fatos de ambos os lados, é preciso também ouvir relatos de cada membro das equipes envolvidas, e identificar a raiz inicial, para enfim confirmar ou negar o julgamento sobre a causa de discussão, processos e outros pontos que podem estar envolvidos na questão.

Em qualquer debate acalorado, o objetivo final não é ouvir o que os participantes estão comunicando sobre o conflito, mas descobrir o que realmente são as causas menores que levaram às vias de fato.

Dentro de uma avaliação sobre a raiz do conflito, é importante considerar todas as observações e detalhes apresentados pelas partes envolvidas, sem culpabilização.

Nesse ponto continua sendo importante evitar qualquer parcialidade sob a perspectiva de um funcionário. É necessário ser objetivo, em oposição a como se sente sobre toda a situação.

3.   Explore soluções de forma conjunta

Cada conflito possui características próprias, e pode ocorrer com pessoas e em situações adversas e diferentes.

Por isso, se em uma fábrica de produção, onde os profissionais responsáveis pelos setor de divisória banheiro são o motivo de um debate, o melhor a fazer é reunir os envolvidos e conversar em um ambiente de reunião neutro e confortável.

4.   Encontre um ponto em comum entre as partes

Após se reunir com os membros da equipe e considerar as perspectivas sobre a origem do conflito, a causa raiz do problema e as possíveis soluções, é possível determinar uma solução de maneira mais apropriada.

Mesmo que cada parte não se sinta completamente satisfeita, cabe a decisão final sobre o gestor ou responsável pela liderança.

Assim, é possível estabelecer uma base comum que pode ser utilizada como ponto neutralizador do conflito e apaziguar os ânimos no local de trabalho.

5.   Aplique ações que beneficiam a todos

Depois de chegar a um consenso, é preciso fornecer a ambas as partes ações que possam evitar conflitos futuros.

O objetivo é regular o comportamento e as ações recorrentes, proporcionando uma mudança de atitude entre os envolvidos.

Para esse fim, cada parte deve entender claramente o que se espera para o futuro, e como todos devem interagir uns com os outros, como profissionais que são.

Conclusão

Os conflitos no trabalho são parte inevitável em um ambiente produtivo, levando em consideração que há diferenças culturais, limites informais, entre outros aspectos.

Para prevenir, os gestores devem utilizar ferramentas eficazes e saber lidar da melhor forma possível.

Além de comunicar as expectativas e comportamentos aceitáveis, é preciso empregar medidas de prevenção e aumentar a comunicação entre os funcionários que trabalham com instalação de porta de enrolar automatica, ou qualquer outra função no espaço de trabalho.         .

Mais ainda, é preciso se concentrar em situações em que se apresentem acordos por ambas as partes, com um gerenciamento em formato proativo e que possa impedir, ao máximo, que qualquer conflito fique fora de controle e ultrapasse os limites aceitáveis.

Dessa forma, é possível destacar que trabalhadores menos estressados passam a lidar melhor com situações de confronto. Isso torna os profissionais mais propensos a alcançar um resultado construtivo para todos.